Instagram

02 abril 2015

Chega de dor nos pés! Saiba o que levar em conta ao comprar sapatos

COM UM POUCO DE ATENÇÃO, É POSSÍVEL COMPRAR ATÉ SAPATOS DE SALTO MAIS CONFORTÁVEIS. FOTO: THINKSTOCK

Muito além da necessidade de proteger os pés, sapatos podem ser verdadeiros objetos de desejo. Só que com tantos modelos, cores e designs diferentes fica difícil lembrar do mais importante: o calçado é confortável? Para que você não caia em uma bela armadilha – com o perdão do trocadilho –, é possível usar algumas regrinhas básicas que vão te ajudar a comprar o par ideal.

SALTOS

Existem diversos tipos de saltos com alturas e formatos diferentes, mas TODOS DEVEM PASSAR POR ALGUNS PRÉ-REQUISITOS BÁSICOS PARA EVITAR FUTUROS DESCONFORTOS. “A mulher tem que ter uma preparação para que ande com salto alto e não se prejudique. Então antes de comprá-los, é importante ficar em pé com o calçado e fazer movimentos para os lados como se fosse se desequilibrar, assim ela verá se consegue se manter firme ou se vai precisar de alguém para segurá-la, quanto mais instável, MAIS ELA TERÁ QUE FORÇAR A ARTICULAÇÃO PARA ANDAR, o que prejudica a musculatura. É importante ficar atenta também para os saltos muito finos, pois neste caso a instabilidade é maior, e o risco de lesão também aumenta”, conta o professor de Fisioterapia da Universidade Anhanguera de São Paulo, RICARDO AMBRÓSIO.

ANTES DA COMPRA É NECESSÁRIO ANALISAR QUAL SERÁ O USO DESSE CALÇADO. FOTO: THINKSTOCK

TÊNIS

O tênis já costuma ser um calçado confortável, porém, é preciso ficar atenta para algumas observações. Se você vai usa-lo para correr, é importante que o AMORTECEDOR SEJA EFICIENTE CONTRA O IMPACTO. “Experimente ficar na ponta dos pés e bater o calcanhar no chão, é preciso que você sinta o impacto seco e que ao mesmo tempo mantenha os pés no centro, ou seja, AMORTECE, MAS NÃO MUDA A DIREÇÃO DO MOVIMENTO, senão gera instabilidade”, conta Ricardo. Também é importante conferir se o solado e as molas têm uma boa durabilidade e se o tênis é elástico. O profissional Ricardo Ambrósio ainda aconselha a mexer os pés dentro dele, tanto lateralmente quanto para cima e para baixo. “É preciso sentir uma leve liberdade”.

Para a blogueira do “My Other Bag Is Chanel”, MICHELE SANTOS, um par de tênis que não será usado durante os exercícios não requer tantos cuidados. “Se o uso for para compor um look moderninho, não tem muitas restrições: BASTA ESCOLHER O NÚMERO CERTO”.

BOTAS NÃO PODEM SER LARGAS E NEM APERTAR DEMAIS. FOTO: THINKSTOCK

BOTAS

Mesmo sendo a preferência de muitas mulheres na hora de dar aquele toque mais bonito e sofisticado para o look, AS BOTAS SÃO ALVO DE DORES NO CALCANHAR. “O tornozelo deve estar bem acoplado na bota, que vai funcionar como um fator de proteção. Ela deve deixar o pé estável, MAS NÃO PODE TER NENHUM PONTO QUE PRENDA ALGUMA PARTE DOS PÉS E QUE FIQUE MARCADO PARA NÃO PREJUDICAR A CIRCULAÇÃO. A bota tem que segurar as laterais, mas o laceado não pode prender os pés”, conta o professor fisioterapeuta. Para amenizar os desconfortos que as botas causam, Micheli dá uma dica: “Tente se adaptar ao USO DOS PROTETORES OU A PALMILHAS ESPECIAIS, pois tiram boa parte do desconforto. Elas podem ser adquirias em lojas de cuidados com os pés e tratamentos ortopédicos”.

RASTEIRINHAS

Esse tipo de sapato é traiçoeiro, justamente por ter uma aparência inofensiva (baixo e semelhante a um chinelo), mas pode causar muitas dores – PRINCIPALMENTE PARA QUEM TEM “ESPORÃO” NO CALCANHAR. “O ideal é comprar rasteirinhas no final da tarde, que é quando os pés estão mais sensíveis. Se a pisada não apresentar desconforto naquele momento, muito dificilmente apresentará no futuro”, aconselha Santos. Ricardo ressalta que a rasteirinha precisa ter pontos de fixação bem marcados, mas que não podem formar uma garra, além disso o material não pode levar a escorregões. “É importante certificar-se de que quando você ande, nenhuma parte do pé toque o chão, a ideia é fazer uma proteção contra o solo”.

SEM BOLHAS NOS PÉS, SAPATILHAS DEIXAM DE SER VILÃS DO CONFORTO. FOTO: THINKSTOCK

SAPATILHA

Essas são as GRANDES CAUSADORAS DO CALCANHAR DOLORIDO E DAS FAMOSAS “BOLHAS” que surgem no pé durante o seu uso. Na hora de escolher o modelo, Ricardo Ambrosio aconselha a tomar cuidado para o calçado não espremer os dedos, caso contrário o PÉ PERDE A DINÂMICA DA LOCOMOÇÃO. Para diminuir os efeitos negativos que as sapatilhas podem causar é aconselhável fazer uso de fitas. “A solução é a mais simples de todas: basta usar fitas transparentes no calcanhar. Hoje já existem várias marcas no mercado, só é preciso descobrir a que mais agrada”, conta Michele.

FONTE: DAQUIDALI.COM.BR